terça-feira, 17 de novembro de 2009

Estrela, Estrela

Estrela, Estrela

estrela, estrela
como ser assim
tão só, tão só
e nunca sofrer
brilhar, brilhar
quase sem querer
deixar, deixar
ser o que se é

no corpo nu
da constelação
estás, estás
sobre uma das mãos
e vais e vens
como um lampião
ao vento frio
de um lugar qualquer

é bom saber
que és parte de mim
assim como és
parte das manhãs
melhor, melhor
é poder gozar
da paz, da paz
que trazes aqui

eu canto, eu canto
por poder te ver
no céu, no céu
como um balão
eu canto e sei
que também me vês
aqui, aqui
com essa canção

Vitor Ramil


Um comentário:

Meninarréa disse...

Ameiiii!!!! é um dos meus preferidos!